Cabeçote

O nome se originou devido à função que o cabeçote realiza no motor. Essa peça é a cabeça do motor e o que direciona toda a função do mesmo. É o componente responsável, devido sua construção, de conduzir a entrada e saída de ar e combustível dos cilindros localizados no bloco. Geralmente construído em  Alumínio (Al), para dissipar o calor, o cabeçote é constituído de um corpo fundido com dutos ou vias por onde a mistura de ar mais combustível é direcionada até as sedes das válvulas.

Internamente o cabeçote possui galerias que dão a continuidade daquelas que vem do bloco para a circulação da água e também do óleo. Na parte superior da peça encontramos os mancais de apoio do comando de válvulas quando a configuração do motor for OHC ou DOHC (sigla em inglês para comando ou duplo comando de válvulas no cabeçote). É nele que as válvulas de admissão e escape estão alojadas juntamente com as molas de retorno de abertura os retentores, as chavetas, os tuchos e balancins.

Na parte inferior encontramos os semiesféricos ou câmara de combustão juntamente com as sedes de válvulas, local onde a mistura ar combustível é comprimida, e rosqueada nesta câmara se encontra a vela de ignição.

MANUTENÇÃO

Antigamente, aos 200 mil quilômetros, quase todos os motores precisavam de retífica. Hoje, eles rodam facilmente mais de 300 mil km com a manutenção correta.

Os tipos mais comuns de retífica são do cabeçote (a mais complexa), bielas, virabrequim e a usinagem do bloco do motor. Os preços também variam de acordo com o serviço. 

CUIDADOS

Existem contratempos que podem motivar uma retífica, como o calço hidráulico. Quando isso ocorre, a água que entra impede que o motor faça a compressão, empenando e até quebrando as bielas. No calço, o motor trava – ou seja, fica fácil perceber que houve algo errado.

PROBLEMAS COMUNS

Alguns problemas de desgaste das paredes dos cilindros, bielas e virabrequim, por exemplo, requerem retífica e que não dão sinais tão simples. Nesses casos, o motorista deve ficar atento a dois sintomas básicos, que são perda repentina de potência e queima de óleo, a famosa fumaça branca que sai do escapamento.

Ruídos também são comuns quando alguma peça quebra dentro do propulsor. Mas é preciso tomar cuidado para não confundir com o barulho de detonação do motor, causado apenas pelo uso de combustível de má qualidade.

SOLUÇÃO DE PROBLEMAS

Se após testes para verificar rachaduras, substituição ou conserto de válvulas e escape, regulagem de pastilhas, entre uma infinidade de outras operações, a retífica se fizer necessária, é importante não continuar rodando com o veículo sem o reparo dos componentes, principalmente se a retífica tiver que ser feita no cabeçote. Pois a retifica do cabeçote é uma das mais complicadas de se fazer, com um número enorme de etapas.

 

OUTRAS FOTOS