Óleo Lubrificante

Essenciais para garantir o bom funcionamento de qualquer motor, os lubrificantes evitam ou minimizam o atrito, desgaste e superaquecimento de componentes do automóvel, ajudando a prolongar a sua vida útil. Além disso, eles também atuam na limpeza e proteção, e promovem uma melhora de desempenho.

A primeira coisa que você precisa saber é diferenciar os três tipos de óleo presentes no mercado: mineral, sintético e semissintético.

  • Óleo Lubrificante Mineral

óleo lubrificante mineral é produzido a partir de uma combinação de óleos básicos minerais obtidos pelo processo de refino do petróleo e aditivos. É o tipo de lubrificante mais comum do mercado, utilizado desde os primórdios da evolução dos motores a gasolina e diesel.

Características: mais barato; atende as exigências de motores mais antigos; menor durabilidade, fazendo com que sua troca seja mais frequente.

  • Óleo Lubrificante Sintético

O óleo lubrificante sintético é produzido a partir de uma combinação de óleos básicos sintéticos e aditivos. Seu moderno processo de produção dá ao lubrificante sintético características mais robustas que os óleos minerais. Possui excelente performance em condições severas de uso, como o trânsito pesado das grandes cidades. É a melhor relação custo x benefício para os motores modernos rodando nas ruas e estradas do país.

Recapitulando: maior durabilidade; pode substituir óleos minerais e semissintéticos; ideal para carros com motores modernos; pode gerar economia de combustíveis (se forem de baixa viscosidade).

  • Óleo Lubrificante Semissintético

O óleo lubrificante semissintético é elaborado por aditivos e pela mistura proporcional de óleos minerais e sintéticos, reunindo as melhores propriedades de cada tipo e barateando o custo. Esta categoria apresenta performance excelente juntos aos motores que temos no mercado.

Então: preço intermediário, proporcionando boa relação custo/benefício; durabilidade intermediária entre os lubrificantes minerais e os sintéticos; podem gerar economia de combustíveis (se forem de baixa viscosidade).

MANUTENÇÃO

Cada base de lubrificante tem uma qualidade diferente e, por consequência, preços e tempo de troca diferentes. Isso varia para cada fabricante de carro e de quantos quilômetros rodados possui o seu veículo. O mais comum:

  • Base Mineral: 5mil km
  • Base Semissintética: 10mil km
  • Base Sintética: 20 mil km

CUIDADOS

Como saber qual a classificação API ou viscosidade SAE ideais para o carro? Pelo manual do proprietário. Essa é a melhor orientação possível. Além do nível de desempenho e da viscosidade, esse documento também se refere  às normas específicas de cada montadora que o óleo lubrificante deve atender. O que está escrito ali é a indicação feita após inúmeros testes e anos de pesquisa para o desenvolvimento de cada carro.

Se o cliente não tiver essa documentação em mãos, o carro for muito antigo ou as especificações estiverem desatualizadas, existem algumas perguntas básicas que você pode fazer:

  • Qual óleo você costuma usar?
  • Já teve problemas de borra no motor?
  • Com que frequência você usa o carro?
  • Quanto você pode pagar em um óleo lubrificante?

PROBLEMAS COMUNS

Utilizar o produto além do período recomendado pela montadora pode levar à formação de borra e comprometer a capacidade de lubrificação das peças internas do motor, com aumento de atrito e desgaste precoce.

SOLUÇÃO DE PROBLEMAS

O ideal é sempre fazer a troca completa. O ato de completar, mesmo que seguindo a mesma especificação, acaba por misturar óleo novo com usado.

Nesse processo, haverá contaminação, o que pode comprometer a eficácia do óleo, pois a mistura resultante é um lubrificante misto, muito diferente dos dois originais. Caso seja inevitável completar, o recomendado é que seja feito com produto de mesma marca e, assim que possível, todo o lubrificante seja substituído.

 

OUTRAS FOTOS