Silicone

A junta líquida, ou silicone, é um adesivo/vedante mono-componente, que vulcaniza com a temperatura ambiente, formando uma junta de borracha de silicone, flexível e resistente. O produto suporta uma temperatura de trabalho contínuo de 230ºC e picos de mais de 300ºC, proporcionando uma boa faixa de segurança para motores que trabalham em regimes de altas temperaturas.

A aplicação correta depende de uma superfície preparada adequadamente, isenta de óleo, graxa ou sujeira. Existe o produto com tecnologia anaeróbica, que endurece e cura apenas na ausência do ar, e atende às mais severas especificações da indústria, em relação a vedações de flanges, tanto na fabricação como na manutenção.

MANUTENÇÃO

Os silicones de vedação indicados para uso em serviços na oficina são os oxímicos (base neutra). Esse tipo de silicone é resistente a óleo de motor e câmbio, e suas aplicações, quando bem feitas, duram enquanto as especificações de temperatura e tração do material não forem ultrapassadas. Mas existem os silicones de base ácida, cuja utilização em automóveis deve ser evitada. Silicones com base de ácido acético absorvem o óleo e provocam vazamento.

Apesar de terem características próprias, as juntas, como todos sabem, devem ser trocadas toda vez que a peça for aberta.

CUIDADOS

O produto deve ser armazenado em local fresco e seco, em embalagens fechadas, a uma temperatura entre 8° to 28°C. Para prevenir contaminação do produto não-utilizado, não retorne sobras de produto para a embalagem.

O manuseio não exige cuidados especiais nem equipamentos de segurança, já que a cola tem base química neutra. No entanto, o profissional deve ficar atento ao usar o removedor de juntas, que tem base de solvente, que deve ser aplicado em local fresco e arejado com o uso de luvas e óculos e muito cuidado para não danificar superfícies pintadas.

As juntas e as colas químicas, utilizadas para proporcionar a perfeita vedação do cabeçote do motor e de outros componentes do veículo, como transmissão e diferencial, têm aplicações apropriadas que devem ser respeitadas pelo profissional na hora da substituição. Essas peças desempenham a importante função de impedir o vazamento de fluídos e gases, e ainda distribuem uniformemente a temperatura dentro do motor.

PROBLEMAS COMUNS

O silicone de base ácida tem dois problemas críticos. Primeiro: ele oxida a peça. Segundo: todo silicone de base ácida fica aerado por dentro. Ele absorve o óleo e a aplicação dura apenas alguns dias antes de provocar vazamento. O silicone oxímico é o único que resiste a óleo, por isso é o utilizado pelas montadoras. Nenhuma montadora usa silicone de base ácida.

Os problemas mais comuns ocorrem quando as especificações de aplicação e manuseio do produto não são respeitadas, e podem causar falhas de montagem. Nestes casos, há a necessidade de se averiguar as novas necessidades e realizar a aplicação do novo produto com a nova condição.

SOLUÇÃO DE PROBLEMAS

Não é aconselhável trocar a junta sólida por cola química devido ao projeto estrutural do veículo. O que pode ser feito é colocar a cola em conjunto com a junta para melhorar a vedação e compensar deformações na peça.

Aplicação:

1) Remova todo o resíduo da junta antiga com um removedor de juntas.

2) Aplique um filete contínuo de cola, com diâmetro entre 3 e 6 mm, na superfície da peça, contornando os furos dos parafusos passantes. Não coloque muita cola, pois o excesso pode penetrar dentro do conjunto e comprometê-lo.

3) Encaixe a peça enquanto o silicone ainda estiver líquido. Para endurecer, o produto precisa do ar atmosférico. Espere uma hora antes de funcionar o motor.

 

OUTRAS FOTOS