Carros turbinados de fábrica: conheça os mais vendidos do Brasil

7 minutos para ler
Powered by Rock Convert

Você sabia que o turbocompressor existe há quase tanto tempo quanto o próprio motor de combustão interna? Mesmo com a patente sendo concedida ao seu inventor, o engenheiro suíço Alfred Büchi, no início do século passado, ainda levaria décadas até alguém realmente usar um motor turbo em um carro de passeio.

Durante muito tempo, o tamanho dos turbocompressores os tornava quase que impossíveis de serem utilizados em automóveis, por isso, eram colocados apenas em motores de aeronaves.

Mas é claro que, com os enormes benefícios da turboalimentação, seria apenas uma questão de tempo até que os carros turbinados estivessem, efetivamente, na garagem de muita gente.

No Brasil, os carros turbo chegaram ao mercado apenas em meados da década de 90 e, de lá para cá, foram conquistando seu espaço no coração de muitos amantes automotivos.

Se você está curioso para conhecer alguns dos carros turbinados de fábrica mais vendidos do país, é só acompanhar a nossa lista.

Mas, afinal, como surgiram os carros turbinados?

Os primeiros carros turbo da história chegaram ao mercado em 1962, quando a General Motors lançou o Oldsmobile Jetfire e o Chevrolet Corvair Monza Spider.

Nos dois casos, os modelos turbo foram aposentados em menos de um ano, principalmente por conta dos fatores de confiabilidade, que faziam com que muita gente ficasse com um pé atrás na hora de levar um dos carros para casa.

É claro que, não podemos tirar os méritos da GM que, mesmo com problemas, deu o ponta pé inicial para a comercialização dos carros turbinados de fábrica.

Embora o JetFire e o Monza Spider não tenham feito o sucesso esperado, a indústria automobilística não demorou muito para descobrir o potencial da turboalimentação.

Então, em 1965, o segundo automóvel turbo chegou ao mercado: o International Harvester Scout, uma 4×4 americana. O modelo estava disponível com um turbo de 2,5 litros e quatro cilindros, produzindo cerca de 110 Cv.

Novamente, após apenas dois anos no mercado, a IH desistiu do motor turbo, dando início a um longo período de espera (mais de 10 anos) até que outro modelo surgisse para ocupar seu lugar.

No Brasil, o primeiro carro turbinado de fábrica demorou para aparecer, entrando no mercado apenas em 1994: era o Fiat Uno Turbo.

O modelo abriu caminho para outros carros turboalimentados que, pouco a pouco, foram caindo no gosto de muita gente.

Hoje, segundo uma pesquisa divulgada pela Garret Motion, empresa mundialmente conhecida pela fabricação de tecnologias de turbocompressão, cerca de 20% dos carros vendidos no país são turbinados de fábrica. Mas a expectativa é que, até 2022, esse número chegue a 48%.

Conheça alguns dos carros turbinados de fábrica mais vendidos no Brasil

Fiat Tempra Turbo – 1994

É claro que nada se compara ao volume de vendas de automóveis que temos hoje, mas, para a época, temos que admitir que o Fiat Tempra Turbo foi um grande sucesso!

O motor desse modelo possuía oito válvulas, além de um turbocompressor Garret. A Fiat declarava que o veículo poderia alcançar a velocidade de 220 km/h, porém, testes realizados pela imprensa especializada mostraram que a velocidade máxima não passava dos 212 km/h.

Vale lembrar que o modelo recebeu dois títulos de peso: o de “Carro do Ano 95” e o de “Carro Mais Veloz do Brasil”.

O Tempra Turbo, apresentava o melhor do design italiano dos anos 90, além de alguns itens de destaque, como:

– Carroceria duas portas;

– Rodas exclusivas;

– Spoiler traseiro.

Apesar da legião de fãs que conquistou desde sua estreia no mercado nacional, o modelo se despediu em 1997, deixando saudades.

Fiat Marea Turbo – 1998

O Fiat Marea Turbo era o tipo de carro feito para causar impacto. E não era para menos, já que o modelo foi o primeiro automóvel nacional a contar com um motor de cinco cilindros.

O ponto alto do Marea Turbo era ser extremamente “sóbrio” por fora, o que não lembrava nem de longe os modelos mais potentes conhecidos mundo afora. A velocidade máxima alcançada por ele era de 223 km/h, indo de 0 a 100 km/h em, aproximadamente, 7,9 segundos.

Por ser um carro menos chamativo do que a maioria dos modelos turbo, seus principais destaques eram:

– Faróis duplos horizontalizados;

– Lavador de faróis ligado ao para-choque;

– Defletores de ar nas extremidades.

Assim como seu antecessor, o Fiat Marea Turbo conquistou milhares de admiradores e ainda faz sucesso entre colecionadores e amantes de carros da década de 90.

Volkswagen Gol Turbo 1.0 – 2001

Simplesmente, o primeiro turbo 1.0 do Brasil. Em 2001, quando foi lançado, esse modelo ajudou a impulsionar ainda mais as vendas do Gol, que já ocupada a posição de carro mais vendido do país.

Esse, aliás, foi o ano em que a marca ultrapassou os números impressionantes do Fusca que, durante muitos anos, foi o queridinho absoluto dos brasileiros.

O modelo ia tranquilamente de 0 a 100 km/h em 9,8 segundos, com velocidade máxima final de 191 km/hr.

Entre seus pontos altos estavam:

– Bloco de 1.0 litro e 16 válvulas;

– Faróis escurecidos;

– Ponteira de escape cromada;

– Aerofólio;

– Rodas de liga leve;

– Faróis de neblina.

Apesar de toda a inovação envolvendo a versão, o carro saiu de linha em 2004.

Hyundai HB20 Turbo – 2012

Com estilo único e moderno, o HB20 Turbo é, definitivamente, um dos carros mais queridos pelos brasileiros.

O modelo, que já caiu no gosto popular, apresenta propulsor 1.0 Kappa Turbo, permitindo que o veículo vá de 0 a 100 km/h em 11,2 segundos. A velocidade máxima alcançada pelo veículo é de 182 km/h.

Entre os destaques do Hyundai HB20 Turbo, estão:

– Faróis com lentes de fundo preto;

– Grade hexagonal com grelha preta e bordas cromadas;

– Retrovisores com repetidores de direção;

– Volante com comendo de mídia e telefonia;

– Conexão Bluetooth.

Uma excelente escolha para quem procura por boa dirigibilidade, principalmente na cidade.

Volkswagen UP! TSI – 2015

Um modelo compacto, é verdade, mas que não perde em nada para os maiores em termos de eficiência. Levando 9,1 segundos para ir de 0 a 100 km/h, o UP! TSI possui motor com injeção direta de combustível, comando de válvulas duplo e variável na admissão e também no escape, além de um design único.

Equipado com um motor de três cilindros e de 1.o litro, o UP! TSI também apresenta:

– Injeção direta de combustível;

– Turbocompressor;

– Intercooler.

O carro fez um enorme sucesso com o público que gosta de modelos diferentes e com forte apelo esportivo, sendo vendido com faixas, retrovisores e teto coloridos.

O futuro é turbo

A transformação sofrida pelos turbocompressores nas últimas décadas é gigantesca, não há como negar. Com a popularização dos carros turbo, fica a pergunta: o que esperar daqui pra frente?

Uma das grandes promessas para o futuro automobilístico são os turbocompressores com assistência elétrica.

O diferencial é que, enquanto os turbocompressores padrão convertem os gases de escape na eletricidade necessária para alimentar o compressor, os turbocompressores eletrônicos desviam uma parte da energia para um capacitor.

O capacitor, então, armazena essa energia, utilizando para isso um sistema KERS de Fórmula 1, que é usado, por fim, para alimentar o compressor enquanto o turbo não está funcionando com as rotações ideias. A consequência disso tudo? Nada de efeitos “turbo lag”.

Mesmo que essa ideia esteja apenas em desenvolvimento, podemos aprender com a história que a indústria automotiva não perde tempo, sendo capaz de tornar o turbocompressor mais eficiente do que nunca!

Posts relacionados

Deixe um comentário