3 clubes de carros antigos mais famosos de Minas Gerais

6 minutos para ler
Powered by Rock Convert

Apaixonado ou apaixonada por carros antigos? Saiba que Minas Gerais é um berço enorme para colecionadores e aficionados dos possantes do passado e reúne, anualmente, milhares de pessoas para acompanhar e celebrar – no estado e também em outros lugares.

Muito mais do que uma paixão, o gosto por colecionar ou guardar um modelo de carro antigo é um hobby, um esporte. Muitos dos carros contam histórias incríveis, sejam de superação, amor ou de tradição familiar.

E não se trata de apenas diversão: todos os colecionadores e expositores levam muito a sério os encontros, que também servem para trocar informações e dicas sobre manutenção e reforma.

Quer saber mais? Elencamos os três maiores clubes de carros antigos de Minas Gerais nesse post. Acompanhe e conheça mais sobre cada um deles.

Instituto Cultural Veteran Car



O maior e um dos mais antigos do estado mineiro é o Instituto Cultural Veteran Car de Minas Gerais. Fundado em 10 de novembro de 1979 em uma concessionária da Mercedes-Benz, na cidade de Contagem, o Veteran Car de Minas Gerais é o clube de maior destaque nacional.

Isso porque o Instituto agrega uma enorme quantidade de raridades, incluindo o primeiro automóvel do mundo: um triciclo fabricado por Karl Bentz, em 1886, chamado de Patent Motorwagen. Nesse clube os veículos antigos são praticamente relíquias e os eventos realizados pelo Veteran Car de Minas Gerais são verdadeiros shows de beleza e também história.

Um desses eventos é o Brazil Classic Show, sempre realizado em anos pares, na cidade de Araxá. Além do encontro, o clube organiza no mesmo evento um leilão de carros clássicos. O clube também realiza feiras, exposições e até ralis.

Além disso, o Instituto conta com uma equipe especializada para analisar e certificar possíveis carros que podem se tornar colecionáveis e receber a placa preta. Os carros devem ser originais e manter um mínimo de preservação.

São 40 anos dedicados ao amor e dedicação a esses carros tão valiosos. O clube, devido ao tamanho e o sucesso nacional, se tornou referência no Brasil.

Para fazer parte do clube, é necessário entrar em contato preenchendo o formulário na página do Instituto Cultural Veteran Car de Minas Gerais.

Clube do Fusca de Belo Horizonte



Se existe um carro que jamais será esquecido, esse carro é o Fusca. O veículo mais simpático e querido pelos brasileiros deixou de ser fabricado em 1996, mas jamais foi abandonado. Não é para menos: o Fusca foi o primeiro carro fabricado pela Volkswagen e se tornou o automóvel mais vendido no mundo! E não é só isso. O Fusca foi fabricado durante 65 anos, o que o tornou o único modelo mais produzido na história mundial, alcançando a marca de 21 milhões de unidades.

Impossível não se apaixonar pelo Fusca. E essa fama ainda continua graças às dezenas de clubes dedicados ao Fusquinha que existem no Brasil.

Um deles é o Clube do Fusca de Belo Horizonte, que foi fundado em 4 de maio de 2003, na capital mineira. A ideia inicial era reunir donos de Fuscas e interessados em geral, mas o clube cresceu e se tornou referência em Minas.

Os encontros acontecem em BH, mas também já foram realizados em outras cidades do estado de Minas Gerais, como Lagoa Santa, Caeté, Contagem, Betim, Tiradentes, Brumadinho e até em Assunção, no Paraguai – clube internacional!

Todo terceiro domingo do mês é marcado: tem encontro do Clube do Fusca, no bairro Cidade Jardim. Dependendo do mês, o encontro é temático. Tem o CarnaFusca, o Arraiá do Clube do Fusca, o FusCão e o FusCriança. O clube também realiza confraternizações anuais.

Interessado em ingressar o Clube do Fusca de BH? Não tem segredo. É só chegar em um encontro ou evento do clube. Mais informações no site do Clube do Fusca.

Clube Kombi Belo Horizonte



Outro modelo que mora nos corações brasileiros. A Kombi, também fabricada pela poderosa alemã Volkswagen, foi lançada em 1950 e no mesmo ano começou a ser comercializada no Brasil. É um veículo visionário, considerada a precursora das vans.

Parou de ser produzida no Brasil recentemente, em 2014, e todo mundo sentiu a tristeza de não poder mais ver a velha e excelente “Kombosa”. Mas na realidade só não a vê quem não quer. Justamente para manter viva a presença da Kombi que o clube de Belo Horizonte foi formado em 2016, no mês de setembro, o mês oficial da perua mais amada do Brasil.

O clube hoje conta com 36 associados e 250 integrantes. Realiza anualmente três eventos, sendo no dia 2 de setembro (Dia Nacional da Kombi); dia 8 de março (Dia Mundial da Kombi); e no mês de julho, sem data definida (Arraial de Lagoa Santa).

Para participar do clube também é só comparecer em um dos eventos realizados pelo Clube Kombi Belo Horizonte.

Placa Preta



Existem muitos outros clubes de veículos antigos espalhados pelo estado de Minas Gerais. Mas para participar, alguns desses clubes podem exigir que o automóvel possua placa preta.

Essa placa é destinada somente a colecionadores, o que certifica que o carro é original e tem perfil de item de coleção.

A chamada Lei da Placa Preta é, na verdade, a Resolução 56 de 21 de maio de 1998, que determina a especificações para um veículo ser considerado colecionável e receber a tão esperada placa preta.

Entre os requisitos para se tornar colecionável, o carro deve ter no mínimo 30 anos de fabricação e também estar em bom estado de conservação. Na análise para possivelmente receber a placa preta, tudo é analisado, principalmente se as peças do carro são originais, ou, pelo menos, foi restaurado no padrão original de fábrica.

Entretanto, como salientamos, não são todos os clubes e associações automobilísticas que exigem a presença da placa preta. A maioria das entidades quer mesmo é se reunir para celebrar e trocar figurinhas sobre os tão amados carros.

E essa é a ideia principal dos clubes: criar um espaço de reunião para sempre manter vivas as lembranças, histórias e paixões sobre esses itens tão amados.

Posts relacionados

Deixe um comentário