Como fazer o upgrade de turbina no meu veículo?

6 minutos para ler
Powered by Rock Convert

O turbocompressor é uma tecnologia desenvolvida para garantir maior eficiência e aumento do rendimento do motor. Isso, logicamente, a partir da sobrealimentação do mesmo. Em suma, pode-se dizer que esse sistema é dividido em duas partes: fria e quente.

Geralmente, o motor a diesel já possui a turbina de fábrica. Porém, há sempre maneiras de melhorá-la e garantir ótimos resultados.

Qual a melhor parte? Quente ou fria?

Essa questão pode causar dúvidas até mesmo em quem já dirige. Ocorre que, muitas vezes, o proprietário do veículo não tem um contato adequado e próximo em relação à turbina. Por isso, encontra dificuldades em entender suas partes e também em fazer um upgrade bacana.

De maneira geral, a parte quente está se referindo à turbina em si. É ela que é a responsável por transformar a energia presente no fluído. A energia que estamos nos referindo é, na verdade, um gás de alta temperatura e pressão.

Dessa maneira, a energia presente consegue dar escape em energia mecânica e, assim, rotaciona-se a turbina. Além disso, existe também o eixo responsável por ligar a turbina ao compressor. Esse eixo faz a energia ir para o compressor e o ar de admissão ser comprimido.

No fim de tudo isso, um volume de ar maior é admitido pelo motor. Já quanto à parte fria, esta é correspondente ao compressor. Com ela, por exemplo, fica a responsabilidade de comprimir o ar que é admitido.

Quanto à energia, esta é coletada pela turbina e, assim, passa a oferecer energia para todos os gases de admissão. Com a compressão, é possível faz com que o motor admita uma quantidade maior de ar.

Isso pode ser comparado a um motor sem o sistema turbocompressor. Além disso, é possível aumentar o rendimento devido a uma combustão mais efetiva da mistura e aproveitamento da energia que se faz presente nos gases de escape.

Como o upgrade deve ser feito?

Primeiramente, existem alguns passos que devem ser seguidos. É fato o quanto esse momento causa dúvidas e até um pouco de ansiedade no indivíduo. Afinal, além da curiosidade de saber como ficará o resultado, também há o medo de não gostar.

Por conta disso, mesmo que o upgrade seja ótimo, uma das dicas é sempre pesquisar o profissional, entender sobre o assunto e garantir o máximo possível de informações. Por exemplo:

1. Planeje-se

Antes de fazer o upgrade de turbina no veículo, é válido se planejar. Muitas vezes, o procedimento pode ser um pouco mais caro que o esperado, fazendo surgirem problemas no caminho. De maneira geral, é importante ter determinados gastos planejados.

2. Escolha um ótimo profissional

Para fazer o upgrade de turbina no veículo, o mais indicado é sempre escolher a melhor equipe de profissionais. Dessa forma, o processo se torna mais rápido, eficiente e com uma margem de erros baixíssima.

Além do mais, como existem diversos modelos e marcas de veículos, é preciso que o profissional conheça características de muitas elas. Logo, quanto maior o nível de experiência, profissionalismo e conhecimento, mais seguro o veículo estará.

3. Saiba escolher qual turbina usar

O que muitas pessoas não sabem, é que é possível encontrar mais de um modelo de turbina no mercado. Saber escolher a turbina é essencial para garantir êxito na hora de fazer o upgrade. Essa também é uma maneira de chegar a um consenso, junto ao profissional, sobre qual modelo é melhor.

Principais modelos de turbinas

1. Turbina K14

Entre os tipos mais indicados de turbina, encontra-se a K14. É a mais indicada para motores 1.4 e 1.6. Além disso, é um dos melhores modelos para quem possui carros GM, Fiat, Ford ou Volkswagen.

Esse modelo, apesar de ser básico, permite que o veículo atinja a faixa de 200cv. É uma turbina duradoura e funciona bem. Assim, pode ser uma das melhores opções para quem está iniciando agora ou somente quer manter algo básico.

2. Turbina Aplaut 905

Para os motores 1.6 e 1.8 da GM, Fiat, Ford e VW, essa turbina é uma das melhores também. Seu diâmetro de rotor de 45 e eixo 49, utilizando uma caixa quente 48. É excelente para quem tem um carro básico e quer mantê-lo assim. É indicada para trabalhar com até 1,4 kg de pressão. Essa turbina, no entanto, não gera tanto fluxo de ar, já que é uma turbina pequena.

3. Turbina A40

Indicada para motores de até 600cv, essa turbina suporta pressões de trabalho de até 3kg. É um turbo tecnicamente novo no mercado. É um dos turbos que mais está sendo bem aceito no mercado, já que mostrou grande eficiência. Ou seja, é válido ressaltar que é uma turbina desenvolvida para rua, mas não para pistas.

4. Turbina S400

O turbo S400 é indicado para motores que ultrapassam 700cv. Até mesmo porque, sua pressão de trabalho é de 4kg. É um dos turbos mais vendidos do mercado para a linha de arrancada. É muito eficiente. O veículo que possuir a turbina S400, terá um ótimo e incrível desempenho.

5. Turbina K16

Uma das mais famosas do mercado, é utilizada como turbo de rua. É muito utilizada para substituir turbinas mais caras e importadas. Uma de suas maiores vantagens é o custo-benefício que oferece. O seu funcionamento é leve, indicada para uma pressão de até 1,5 kg.

Como é indicada para carros de rua, seu funcionamento é mais básico e, por isso, é mais indicada para motores de 1.6 até 1.8 das marcas GM, Fiat, Ford e VW.

Dicas adicionais

O interessante é sempre informar ao profissional quais as características e desejos quanto à turbina e ao desempenho do veículo. Dessa maneira, é possível atingir um consentimento maior e obter a devida indicação.

Ocorre que muitos motoristas não possuem um conhecimento pleno sobre turbinas. Isso pode causar uma certa confusão, já que, muitas vezes, deixam o profissional decidir. Logo, essa não é a escolha mais ideal.

Portanto, é muito importante explicar a ideia e características que deseja agregar ao veículo ao realizar o upgrade. Assim, será mais fácil atingir o objetivo desejado.

Posts relacionados

Deixe um comentário