Como higienizar o seu veículo e evitar o coronavírus

6 minutos para ler
Powered by Rock Convert

O mundo inteiro está vivendo uma situação fora do comum. A quarentena imposta pela pandemia da COVID-19 fez com que diversas rotinas fossem alteradas. Além disso, novos hábitos foram adotados para evitar que o Coronavírus se alastre e aumente ainda mais a incidência da doença, que tem mostrando grande letalidade em diversos países, incluindo o Brasil.

Apesar das recomendações impostas pelos órgãos de saúde pública, bem como a Organização Mundial da Saúde (OMS), sobre a circulação de pessoas, ainda existem casos onde precisamos sair de casa. Seja para ir ao supermercado ou farmácia. Além disso, existem profissionais que estão mantendo sua rotina normal, como os que atuam em serviços essenciais e de saúde, além de motoristas de aplicativo e taxistas.

Para aqueles que usam veículos próprios para tais deslocamentos é importante entender que o carro é uma extensão do lar, tornando-se importante adotar alguns cuidados para que o veículo não seja um ambiente favorável ao contágio e proliferação do vírus. Portanto, se você utilizada seu carro para circulações necessárias, ou para atividades profissionais, é importante ter atenção para alguns cuidados de higienização.

O distanciamento social também deve ser aplicado dentro do carro

Se você não utilizada seu veículo diretamente para o trabalho, como é o caso de taxistas ou motoristas de aplicativos, é importante lembrar que a regra que vale para o lar, também é aplicada para o carro. Evite dar caronas, ou mesmo pedir por elas. É importante manter a distância recomendada entre pessoas, para evitar o contágio e a proliferação do vírus.

Caso você atue com transporte de pessoas, é importante lembrar-se de manter sempre os vidros abertos, para que haja circulação de ar suficiente dentro do veículo. Esse comportamento evita a circulação de diversos agentes infecciosos, como o Coronavírus.

Outra dica bastante importante, que serve tanto para quem usa o carro para deslocamentos pessoais, como para os que estão utilizando o veículo para objetivos profissionais, é não utilizar o ar condicionado no modo de recirculação. Tal comportamento faz com que o ar dentro do veículo não circule, tornando o ambiente favorável para a proliferação dos agentes infecciosos.

Higienização constante todas às vezes que entrar no veículo

Imediatamente após entrar no veículo, higienize suas mãos. Para tal, é indicado manter uma embalagem com álcool gel 70% no veículo, o que traz maior praticidade para a rotina. Porém, é importante salientar que o álcool não é a substância mais indicada para a higienização das peças do carro, levando em conta que o material é abrasivo e pode danificar o interior.

Para higienizar a área interna do carro é indicado usar uma solução que combine água e sabão neutro. Para trazer mais praticidade para isso, indicamos utilizar um borrifador com esta mistura dentro. Também tenha a mão um pano macio, já que o atrito também ajuda a combater o vírus.

É importante salientar que produtos como alvejantes e água oxigenada também podem causar danos ao material interno do seu veículo, portanto, devem ser evitados. Outra dica é evitar substâncias que possuam amônia na sua concepção. Produtos desta natureza podem comprometer o funcionamento de aparelhos eletrônicos, bem como danificá-los ao longo prazo.

Após limpar as mãos, aplique a solução de água e sabão neutro na maçaneta interna, bem como no puxador. Se você quiser garantir maior eficiência na limpeza, faça a aplicação em toda a área interna da porta. Borrife um pouco da solução e, após, passe o pano.

Também é importante realizar este processo no volante, manopla de câmbio, painel, porta luvas, retrovisor e qualquer outra área que você terá contato durante a direção. A solução de água e sabão também pode ser aplicada para limpar painéis que tenham central multimídia com tela.

Se você desejar, realize o mesmo processo na hora que chegar em casa. Porém, é importante salientar que isso não anulará a repetição dos passos citados anteriormente na próxima vez que você entrar no carro. Em um contexto da pandemia, toda a prevenção e cuidado é importante.

Atenção para a higienização dos estofados

Os estofados do seu veículo também merece uma atenção especial de higienização, afinal de contas, suas roupas também podem ser um ambiente favorável para a disseminação do Coronavírus. Portanto, alguns cuidados com os bancos também são importantes.

Se o seu veículo possui estofamento de couro, é importante ter cuidado com a hidratação do material. A solução de água e sabão é um trunfo importante para a limpeza, porém, rotinas de higienização mais frequentes podem desidratar o couro. Para evitar que isso aconteça, busque produtos específicos para hidratação que ajudam a manter o estado do estofamento mais próximo do natural.

O couro sintático não é tão sensível quanto o natural, porém, dentro de uma rotina frequente de higienização, o material pode ressecar e descascar. Portanto, também busque um produto focado em hidratação para este tipo de material.

A combinação de água e sabão neutro também é excelente para a higienização de estofamentos de tecidos sintéticos. Porém, é importante ter atenção para que a solução não gere espuma durante a limpeza. A espuma torna a secagem mais demorada, o que pode ocasionar o surgimento de fungos, bem como a incidência de mofo.

Tapetes

Uma das partes mais complexas da higienização durante o Coronavírus são os tapetes. Apesar deles não estarem em contato direto com corpo, é importante lembrar que eles também são ambientes propícios para a proliferação do Coronavírus.

Sempre que possível, bate os tapetes ou utilize aspiradores. O acúmulo de substâncias nele é ideal para a proliferação de bactérias e vírus, além de atrair outros insetos. Lembre-se também de, ao chegar em casa, tirar o calçado que foi usado no carro, evitando levar substâncias indesejadas que estejam no solo do veículo para dentro do lar.

Ar condicionado

Como citado anteriormente no texto, um hábito importante é manter as janelas do seu veículo sempre abertas. Isso faz com que haja maior circulação de ar e menor risco de proliferação para o vírus. Porém, se necessitar utilizar o ar, é importante não utilizá-lo na função de recirculação.

Posts relacionados

Deixe um comentário