3 erros mais comuns ao comprar peças de carros online

6 minutos para ler
Powered by Rock Convert

Depois de algum tempo de uso e quilômetros rodados, o carro começa a apresentar problemas. Porém, com a falta de tempo durante o dia e a necessidade de ter o automóvel funcionando de novo, surge a solução: comprar peças de carro online.

Apesar da facilidade e economia de tempo, é bom estar atento aos erros mais comuns ao comprar peças automotivas pela internet.

Atualmente, o e-commerce para automóveis e itens relacionados vem ganhando destaque pela praticidade que oferece. Pela rapidez de se encontrar peças raras ou muito caras em lojas físicas automotivas, as pessoas têm dado preferência para o comércio virtual.

Entretanto, a complicação está exatamente no que é oferecido, uma vez que o consumidor não consegue visualizar ou testar o produto, antes de adquirir.

Por isso, para evitar que o seu carro continue parado ou piore seu estado, verifique quais são os 3 erros mais comuns na hora de comprar peças de carro online e evite cair em golpes:

1 – Confiar em preços muito abaixo do mercado



Este talvez seja o golpe mais aplicado em pessoas que compram pela internet, no geral: o consumidor se depara com o carro sem utilidade na garagem e peças caríssimas para resolver o seu problema.

A loja automotiva online oferece condições excelentes, com valores fora do normal, facilitando o pagamento e prometendo entrega antes do prazo. Nos piores casos, o consumidor pode sofrer uma das situações:

• Peça falsificada: ao adquirir um produto falsificado e sujeitar o carro a recebê-lo em sua mecânica, o consumidor pode piorar a situação e criar um problema ainda maior. Além do mais, sendo falsificada, não conta com garantia ou troca de produto;

• Peça recuperada: é possível comprar uma peça de segunda mão, por escolha, e saber exatamente os detalhes e problemas que ela carrega por ter sido usada anteriormente. Porém, em alguns casos, as peças são vendidas como novas com preço muito abaixo do normal, e o dono do automóvel só descobre ao recebê-las;

• Nenhuma peça e dinheiro perdido: nos casos mais graves, a loja pode simplesmente não existir e não entregar peça alguma. Caso comum em lojas virtuais que não têm nome no mercado ou aparecem “do nada” oferecendo produtos de custo elevado por valores baixíssimos.

Por isso, é importante pesquisar o preço médio de cada peça, e desconfiar de valores muito abaixo da realidade do mercado atual.

2 – Não exigir Nota Fiscal, selo do Inmetro e OCP (Organismos de Certificação do Produto)



Fazer reparos automotivos não é barato, e a Nota Fiscal é a sua segurança como consumidor. Ao exigir a nota, a loja virtual se compromete a efetuar a troca caso algo dê errado. Ou, até mesmo, auxiliar com alguma outra manutenção que seja solicitada pelo consumidor.

Ao chegar próximo de realizar a compra, verifique a emissão de Nota Fiscal. Caso não seja possível, desconfie e prefira adquirir a peça em lojas que emitam o documento.

Já o selo do Inmetro, garante a segurança ao utilizar a peça, tanto para o responsável pela manutenção como para o usuário do automóvel. Acompanhado do selo do Inmetro, vem a logomarca da OCP (Organismos de Certificação do Produto), que é obrigatória em algumas peças automotivas.

Verifique o que estas garantias podem fazer pelo consumidor:

• Número de série: o número de série é uma das partes mais importantes da peça, pois é sua identificação de fabricação. Com isso, o consumidor tem a garantia de que seu produto faz parte de um lote específico, caso haja problemas com o mesmo. Peças que não contam com um número de série, podem ser facilmente identificadas como falsificadas;

• Acabamento: o acabamento de uma peça original e certificada é visivelmente melhor, colaborando para que o consumidor identifique sua procedência de imediato;

• Verificação detalhada: antes de sair do fabricante, a peça automotiva passa por inspeção profissional detalhada, para evitar ao máximo as dores de cabeça para o consumidor. Ou seja, os produtos são fabricados com cuidado e atenção aos detalhes, o contrário das peças falsificadas e alteradas.

3 – Ignorar relatos de outros consumidores da loja online escolhida


Uma das maravilhas que a internet oferece, e a de poder dividir experiências. Com isso, você evita cair em ciladas e pode escolher a loja com maior segurança.

Busque digitar o nome da loja virtual em sites de reclamações, ou em redes sociais, e verifique o que seus consumidores relatam. É normal encontrar eventuais deslizes da loja, afinal, qualquer compra online é passível de sofrer imprevistos. Entretanto, atente-se ao tipo de reclamação:

• A loja não entrega ou demora: fuja de lojas que possuam este tipo de crítica, o seu carro poderá ficar muito mais tempo parado ou sequer receber a peça;

• A peça não veio na embalagem original de fábrica: lojas de renome que trabalham com marcas originais, não precisam trocar as peças de embalagem. Desconfie e prefira não adquirir produtos que possam sofrer este tipo de alteração;

• A peça veio com defeito: pode acontecer, porém, não é comum. As peças são testadas antes de serem comercializadas, e este tipo de reclamação já é o bastante para não comprar da loja pesquisada;

• Comprei uma peça e recebi outra: este tipo de erro, quando muito recorrente, pode indicar baixo estoque da loja e tentativa de enganar o cliente. No caso de relatos sobre peças muito parecidas, ou peças idênticas, mas de procedência duvidosa recebidas pelo consumidor, evite efetuar a compra e procure outra loja que não conte com essas reclamações.

Hoje em dia, é possível encontrar uma variedade gigantesca de lojas online, com condições incríveis de pagamento e descontos. Entretanto, uma das desvantagens de se adquirir peças automotivas por comércio virtual, é ter que estar atento a todos esses detalhes.

É fundamental que o consumidor pesquise, busque por outros consumidores e os seus relatos, e coloque o bom funcionamento de seu automóvel à frente de qualquer preço ou promessa mirabolante oferecida pelas lojas. Afinal, não são itens baratos e podem custar ainda mais caro ao consumidor que adquire e utiliza peças que podem danificar o automóvel.

Posts relacionados

Deixe um comentário