Qual a função do anel segmento?

6 minutos para ler
Powered by Rock Convert

O anel de segmento é uma das peças que fazem parte do motor de combustão. Acoplado ao pistão, ele é responsável pela vedação do sistema.

Apesar de seu tamanho reduzido, ele é produzido com uma liga de aço misturada com carbono. Isso garante ao anel a resistência necessária para aguentar a pressão exercida pelo motor.

Quando o anel de segmento apresenta algum problema, percebemos uma diminuição na potência do motor, um aumento no consumo de óleo e uma mudança nos gases que saem pelo escapamento.

Nesse artigo vamos mostrar um pouco mais sobre o anel de segmento e para o que ele serve.

O que é o anel de segmento?

Anel de segmento ou anel do pistão é uma peça com formato circular que se encaixa na parte superior do pistão. O pistão não pode entrar em contato com a parede do cilindro, já que o grande nível de atrito levaria a pane do motor.

É aqui que entra o anel de segmento. Instalado na cabeça do pistão, o anel é a peça que encosta na parede do cilindro. É através dele que o óleo do motor e os gases da combustão podem ser vedados, evitando que entrem em contato com o resto do motor.

Funções do anel de segmento

O anel de segmento possui três funções dentro do motor a combustão. São elas:

– Controlar a quantidade de óleo nas paredes do cilindro, evitando que ele escape para a câmara de combustão;

– Assegurar a vedação do cilindro, impedindo que os gases da combustão cheguem ao cárter;

– Auxiliar no controle de temperatura do motor, facilitando a dissipação de calor entre o pistão e o cilindro.

Entretanto, o anel de segmento não trabalha sozinho. Para alcançar seu potencial máximo, ele atua em grupos de três. Assim, não é um anel de segmento por pistão, mas um conjunto de três anéis por pistão, sendo que, cada um deles é construído com materiais diferentes e cada um possui uma função específica.

Os anéis de segmento devem ser colocados nas canaletas do pistão, seguindo uma ordem específica.

É importante lembrar que, quando montado o conjunto, as fendas dos anéis não devem ficar alinhadas. Com as fendas em posições diferentes, aumenta-se a capacidade de vedação do conjunto. Já que elas agem como uma vedação em labirinto.

Tipos de anel de segmento

Os anéis de segmento possuem designs únicos, são formados por materiais variados e utilizam diferentes tecnologias. Isso tudo é para garantir que cada um deles esteja apto a realizar suas funções de forma satisfatória.

Os três tipos de anel de segmento que devem ser instalados no pistão são: o anel de compressão, o anel raspador e o anel de óleo.

Anel de compressão

Sua função principal é garantir a compressão na câmara de combustão. Por isso possui um desenho que proporciona o máximo contato com o cilindro.

Ele é instalado na área mais quente do pistão. Sendo assim, precisa ser confeccionado com materiais resistentes ao desgaste e que suportem altas temperaturas.

É o anel de compressão que impede que os gases da combustão escapem e cheguem ao interior do cárter.

Anel de raspagem

Esse anel é responsável por tirar o excesso de óleo de dentro do cilindro, deixando apenas uma fina camada para diminuir o atrito entre os anéis e a parede do cilindro.

A borda do anel de raspagem possui uma angulação. Por conta disso, ele é capaz de retirar o excesso de óleo quando o pistão desce e, no momento da subida do pistão, ele espalha o lubrificante criando uma camada fina de óleo.

Além disso, ele também auxilia no controle de compressão. Ajudando o primeiro anel.

Anel de óleo

Último anel do conjunto. Esse anel é responsável por encaminhar o excesso de óleo retirado pelo anel de raspagem e permitir que ele chegue até o cárter.

Falhas no anel de seguimento

O anel de segmento pode sofrer deformações dentro do motor por diversos motivos. São essas mudanças na estrutura que vão permitir o surgimento de falhas.

As falhas de vedação dos anéis de segmento podem acontecer tanto na área de contado do anel com o cilindro, quanto na área de contato entre o anel e o pistão.

A deformação dos anéis permite que os gases de combustão e o óleo do motor subam pela câmara de combustão e cheguem até o cárter.

Quando os gases da combustão queimam junto com a mistura ar/combustível, percebemos que começa a sair fumaça pelo escapamento. Outros indicativos de que o anel de segmento precisa ser substituído é o aumento no consumo de óleo pelo motor, o aumento da emissão de poluentes e a diminuição do desempenho.

Além disso, a falha do anel propicia a formação de carvão nas canaletas do pistão. O que pode levar ao travamento dos anéis.

Os pistões podem começar a trepidar dentro do cilindro e a se chocar com suas paredes. Essa trepidação pode levar a quebra do pistão.

Causas das deformações no anel de segmento

Vários podem ser os motivos que levam à deformação dos anéis de segmento, alguns deles são:

– Falta de manutenção: o pó e a limalha de metal, quando entram nos cilindros, aumentam a abrasam nos anéis, causando sua deformação. Isso pode ser evitado trocando o lubrificante e os filtros de óleo e de ar nos intervalos corretos.

– Retífica incorreta: acabamentos grosseiros nas laterais do cilindro o transformam em uma lixa para os anéis, acelerando seu desgaste. Além disso, o polimento excessivo do cilindro atrapalha a adesão do óleo nas paredes. Assim, a lubrificação fica comprometida.

– Falha de manuseio: apesar de serem extremamente resistentes ao atrito e a temperatura, os anéis de segmento são frágeis. Qualquer torção feita na peça pode levar a sua deformação, ao aparecimento de fissures e, consequentemente, a quebra do anel.

– Lavagem do cilindro: esse fenômeno acontece quando o combustível liquido escapa para o motor através das válvulas de admissão. Quando ele entra em contato com o pistão, os anéis e o cilindro, o combustível lava essas peças, retirando todo o óleo lubrificante.

Gostou deste texto? Compartilhe!

Posts relacionados

Deixe um comentário