Carro x máquina agrícola: motores a diesel são todos iguais?

11/06/2018|Contagem Motor Peças

A função pode ser a mesma, mas os objetivos são bem diferentes. Você sabe o que muda no motor a diesel das máquinas agrícolas?

A finalidade é a mesma: gerar força. Até a potência pode ser a mesma! Existem marcas que tem tratores que entregam os mesmos 200 cavalos de uma picape tradicional. Há máquinas agrícolas com até 520 cavalos de potência, número de verdadeiros esportivos. Mas as semelhanças entre os motores a diesel de um carro e de um equipamento pesado vão ficando por aí.

Para começar, uma picape não conseguiria tracionar o mesmo peso de um trator. “A concepção dos motores é bem parecida, contudo, enquanto a calibração do motor em veículos de rua prioriza a velocidade, nas máquinas pesadas, ela prioriza o torque. É preciso lembrar que essas máquinas trabalham muito tempo em rotação constante”, destaca Daniel Zacher, engenheiro da SAE Brasil. Para tanto, esses equipamentos adotam pistões com cursos mais longos e virabrequins maiores, além de pneus mais graúdos para ter mais atrito com o solo.

“Durante o trabalho, um trator roda a quilômetros por hora. Um pulverizador, que seria uma das máquinas agrícolas mais rápidas, vai de 20 a 25 quilômetros por hora”, completa Zacher. Ou seja, ele pode ser mais forte, mas um trator jamais chegaria às velocidades atingidas por um veículo. Na verdade, ele dificilmente passará dos 60 quilômetros por hora.

Porém, para superar os obstáculos e cumprir as tarefas, tratores contam ainda com um sistema que evita que o motor apague em baixas rotações, a reserva de torque. “É uma sobra de força para situações extremas, como estar com uma roda atolada, ou para transpor um obstáculo, como um tronco de árvore”, explica Zacher.

“Outra diferença fundamental é que o bloco nas máquinas agrícolas é estrutural, ou seja, faz parte da estrutura e vai conectado diretamente ao eixo e à transmissão”, diz Fernando Malvezzi, professor de engenharia mecânica da Universidade São Judas Tadeu e do Instituto Mauá.

Com um bloco reforçado e uma estrutura mais robusta, essas máquinas também precisam de um sistema de arrefecimento diferente para lidar com o ambiente com maior concentração de poeira. Em resumo, são motores maiores tal qual a carga que são capazes de tracionar – e com roncos bem mais encorpados.

Revisão para todos

Apesar das diferenças, as similaridades entre os motores voltam a aparecer quando se pensa na manutenção dos equipamentos. Assim como nos motores de picapes ou outros veículos leves, é importante fazer a troca periódica do lubrificante. Ele assegura a durabilidade e a performance do motor, evitando desgaste prematuro, da mesma forma que acontece com o seu carro.


Fazer a manutenção correta para o tipo de motor evita problemas futuros (Imagens meramente ilustrativas) (Bubbers13/Getty Images)

Fazer a manutenção correta para o tipo de motor evita problemas futuros (Imagens meramente ilustrativas) (Bubbers13/Getty Images)

E óleo lubrificante é tudo igual? Claro que não. Você precisa checar o tipo de óleo recomendado para o seu carro no manual do proprietário, certo? O mesmo acontece com as máquinas agrícolas, que precisam de lubrificantes apropriados para cada aplicação.

O Plus-50™ II, por exemplo, oferece intervalos de trocas maiores, enquanto o TORQ-GARD™ II foi desenvolvido para entregar alto desempenho e performance superior. Seja qual for a sua “máquina”, é importante seguir o fabricante e nunca misturar os tipos de lubrificante. Afinal, motor a diesel não é tudo a mesma coisa.

 

Fonte: www.quatrorodas.abril.com.br

Tags